Aquarium Brasil
Atenção



Olá seja bem vindo ao Fórum Aquarium Brasil esta é uma mensagem automática para avisar de antemão que para interagir no fórum e suas respectivas salas de discussão é necessário que você visitante registre-se não demora nada e você mesmo pode ativar seu cadastro através de seu e-mail pessoal obrigado por visitar a Aquarium Brasil
Total de visitas
estatisticas gratis

[FAQ] Montagem do Primeiro Aquário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ok [FAQ] Montagem do Primeiro Aquário

Mensagem por Bruno Silva em Dom Jan 27, 2013 1:07 pm

1) Aquário dá muito trabalho?
Questões abordadas neste tópico:

1) Aquário dá muito trabalho?
2) Que tamanho de aquário devo escolher para iniciar?
3) Que equipamentos eu realmente preciso ter no aquário?
4) Montei meu aquário hoje, quando posso pôr os peixes?


Qualquer hobby dá trabalho, em maior ou menor escala, dependendo do envolvimento do hobbista. Se o aquarista tem um único aquário, o trabalho é um. Se tem mais, multiplica. Depende também do número de peixes mantidos, do nível de plantação do aquário, dos equipamentos usados, do modo de fazer trocas parciais, e por aí vai. Como o aquarismo é um hobby dinâmico, então um certo trabalho sempre será dispendido mas, para a maioria dos praticantes desse hobby, é mais encarado como um divertimento do que uma tarefa cansativa. O trabalho desgostoso dispendido na manutenção do hobby resulta muitas vezes de erros cometidos pelo dono, por ele não ter-se educado apropriadamente sobre o hobby. Este trabalho pode ser enormemente facilitado se a pessoa tomar alguns cuidados básicos antes da montagem do seu aquário.

Procure informar-se corretamente antes de dar qualquer passo. Consulte a internet, participe de fóruns como este aqui, e escolha lojas de renome. Com base nos dados obtidos, realize a montagem de acordo com o que foi recomendado mesmo. Praticamente a totalidade dos insucessos em aquarismo acontece nesta situação, onde a montagem, os equipamentos e a população de peixes estão incorretos. O hobby não é complicado, mas muitas vezes usar apenas o instinto e o bom senso levam a conclusões e decisões completamente erradas, o que vale muitíssimo mesmo é ouvir as experiências de quem já lidou com a situação.

Questões financeiras também interferem nesta etapa de escolha do aquário. Se a verba só permite um aquário menor, mas equipado corretamente, é uma opção muito mais acertada do que um aquário maior, porém mal montado e incompleto nos requerimentos. A beleza deste hobby está na boa saúde dos seres vivos mantidos. Muito melhor ter menos peixes vivendo felizes em um aquário bem equilibrado do que ter mais peixes vivendo sempre descorados, estressados e doentes em um aquário mal montado e sujo.

Depois da montagem, o que é frequentemente referido como "aquilo que dá trabalho" são as tarefas de manutenção: as trocas parciais, a manutenção dos filtros e remoção de eventuais excessos de algas dos vidros e decoração. Quanto mais bem dimensionado for o filtro e menos populado for o aquário, mais fácil será o trabalho de manutenção. Fazer testes químicos para saber os níveis de pH, dureza, amônia, nitrito, nitrato, etc, também podem dar um pouco de trabalho, mas por outro lado ajudam a evitar ou corrigir problemas que poderiam dar um trabalho muito maior depois. Conforme a pessoa vai se desenvolvendo no hobby, estes assuntos mais avançados como o comportamento químico vão sendo compreendidos com muito mais facilidade depois, e vão dando menos trabalho à medida que você passa conhecer o comportamento do seu aquário. A principal tarefa de manutenção, que é vital para se atingir o sucesso no hobby, são as trocas parciais de água. Porém é uma tarefa muito simples de ser realizada, qualquer iniciante consegue realizar isso. A alimentação dos peixes requer apenas alguns minutos por dia e dá pouquíssimo trabalho.

Importante: No passado imaginava-se que era necessário trocar toda a água e 'limpar' o aquário inteiro de tempos em tempos, isso sim é um trabalho bastante exaustivo. Mas com a evolução dos equipamentos e do estudo de como funciona esse 'ecossistema' entre quatro paredes de vidro entendeu-se que um aquário bem montado é como vinho...quanto mais velho melhor! Trocas totais não só deixaram de ser necessárias como devem ser evitadas a todo custo, só mesmo se houver um grande desastre ou erro crônico na montagem inicial. Com isso o trabalho foi reduzido em muito e passou a ser mais um divertimento do que qualquer outra coisa.

Finalmente, a aquariofilia não é um hobby muito indicado para quem viaja bastante e passa muito tempo fora de casa, ou mudando de residência com frequência. Mudar um aquário de lugar representa um desgaste bastante grande para o aquarista e para os peixes, e aquários onde muitas pessoas diferentes 'põem a mão' também são muito mais suscetíveis a erros.

Concluindo, este é um hobby fascinante e muito pouco complicado e trabalhoso, mas o fundamental para compartilhar desta mesma opinião é informar-se bem sempre antes de colocar a mão na massa...ou na água...

Enviada: 23.03.2003(Dom)1:44 Assunto: Que tamanho de aquário devo escolher para iniciar?
2) Que tamanho de aquário devo escolher para iniciar?

Como regra geral, aquários médios em torno de 80 a 120 litros são um bom começo, pois apresentam boa estabilidade, com menor número de intervenções requeridas, menor volume de trabalho nas manutenções, e custo razoável para uma boa montagem completa com bons filtros, etc. Um aquário médio também já comporta uma boa e variada população de peixes e plantas, além de permitir uma decoração e um paisagismo mais rico...

Muitos pensam que começar com um aquário pequeno (menor que 50 litros) é mais fácil, mas este é um grande engano. Aquários pequenos têm estabilidade muito frágil, são pouco tolerantes a erros e portanto na verdade mais difíceis de se manter a médio e longo prazo. Eles exigem uma montagem muito bem feita no início, e depois requerem monitoração constante e intervenções frequentes do aquarista. Caso contrário facilmente desandam, peixes e plantas morrem, e isto acaba por desanimar o aquarista iniciante. Os pequenos também limitam bastante a escolha das espécies de peixes apropriadas, que não devem passar de 6 cm de tamanho ADULTO, e são muito mais fáceis de superlotar, um erro frequente cometido por iniciantes que inevitavelmente leva a desastres.

Aquários grandes são bons, vistosos e obviamente desejáveis, mas é importante ter em mente que eles trazem custos e esforços mais elevados tanto no início (instalações e equipamentos) como no futuro (trabalho de limpeza e manutenção, gastos com alimentação, produtos químicos, reposição de elementos filtrantes, etc). Trocar 20% da água por semana em um aquário médio implica em um balde...já num aqua muito grande, implica em um tonel, e por aí vai...são mais recomendados como um segundo aquário para quem já pegou o jeito e realmente se identificou com o hobby. Mesmo que você resolva comprar um aquário de volume grande, cuidado com aquários que tenham mais de 80 cm de altura, pois estes dificultam bastante o acesso ao fundo para manutenção, e se for plantado gera problemas de penetração da iluminação até o fundo.

Finalmente, independente do tamanho que você decidir comprar, tenha em mente que não adianta nada comprar um aquário maior se, para compensar, você for comprar um filtro pior, deixar de comprar testes químicos, etc. Ou então comprar um aquário menor para sobrar dinheiro pra comprar peixes mais caros depois, e assim por diante. O segredo é planejar uma montagem completa e balanceada, incluindo bom tamanho do aquário, bons equipamentos e acessórios, quantidade e tamanho apropriado de peixes, que esteja dentro do seu orçamento ou limitações de espaço.

3) Que equipamentos eu realmente preciso ter no aquário?

Nos rios, lagos, riachos e todo o meio natural onde vivem peixes, existem certas condições que tornam possível a vida deles ali. Há a noite e o dia, há água sendo constantemente renovada ou pelo menos reciclada, há grandes volumes de água que mantêm a temperatura mais ou menos estável, há plantas e animais que servem de alimento, etc. Apesar dos peixes terem alguma capacidade de adaptação, no aquário devemos tentar reproduzir as condições originais da melhor maneira possível. Para ser justo, não é impossível criar alguns peixes tendo-se apenas um recipiente de tamanho apropriado e água, mas cada item a mais de equipamento que você se dispuser a investir irá contribuir muito para dar maior estabilidade ao seu aquário, diminuir o seu trabalho de manutenção, e melhorar as condições gerais de vida e a longevidade dos habitantes. Assim, além do recipiente em sí que irá conter a água e os peixes, de maneira geral são fortemente recomendados:

Filtragem: Lembre-se: peixes 'urinam e defecam' na própria água que respiram! A água do aquário está confinada entre 5 vidros, e portanto não há correntezas para levar embora os dejetos e toxinas que resultam do metabolismo normal dos seres vivos, decomposição de folhas soltas, restos de comida, etc...então é necessário um filtro. Atualmente se dá preferência para os filtros externos, que além de já estarem disponíveis a preços razoáveis, são um sistema de filtragem completo: podem fazer filtração mecânica, retendo as partículas em suspensão na água, têm a opção de fazer a filtração química (para quem o desejar, usando carvão ativado), retirando certos elementos e substâncias dissolvidas na água e que a gente não vê...e também a importantíssima filtração biológica, pois nos filtros se aglomeram grandes quantidades de bactérias nitrificantes, indispensáveis ao Ciclo do Nitrogênio. No entanto essas bactérias precisam ser bem alimentadas com amônia (resultado da decomposição de matéria orgânica) e oxigênio para se desenvolverem. Pelo filtro passa toda a água do aquário várias vezes por hora, o que não ocorre nos outros locais em que estão as bactérias. Normalmente recomenda-se dimensionar a filtração para circular 5 a 10 vezes o volume de água do aquário por hora (isso variará com a quantidade de peixes no aquário, o número e espécies de plantas, etc). Com esta circulação formam-se no filtro grandes colônias que aumentam o poder de captura e processamento da amônia do aquário. Mas vale notar que bactérias deste tipo há em todo o aquário: no substrato, nas pedras, troncos, enfim, se espalham por todo o meio, portanto sempre haverá um pouco de filtragem biológica, em qualquer aquário.

Ainda em relação aos filtros, o ideal é que você tenha pelo menos dois independentes. Assim, se um dia um deles entupir, parar ou queimar (o que é raro, mas possível) seus peixes não terão que ficar em má situação pois o outro dará conta parcial do recado até que você conserte o quebrado. Também porque as colônias de bactérias não devem ser destruidas e se por um problema ou descuido durante a manutenção, você as matar (como por exemplo lavando com água clorada a parte do filtro onde elas se acumulam...), as do outro filtro estarão lá. Além disso,tendo dois filtros, a captação de água ocorre em dois lugares ao mesmo tempo, otimizando a filtragem. Mas se você só usar um, e tomar os devidos cuidados, também dá certo!

Aquecimento: Em grandes volumes de água (rios e lagos) a temperatura varia muito pouco durante as 24 horas do dia, e até mesmo ao longo de vários dias. Mas nos aquários de peixes tropicais, onde a temperatura deve ser mantida em algum valor entre 24 e 30°C, costuma haver variação bem maior por vários motivos e é altamente recomendável ter-se um aquecedor com termostato para prevenir isto (obviamente você também precisa de um termômetro pra saber qual é a temperatura da água). Muita gente fica tentada a comprar apenas um aquecedor comum, sem termostato, pois eles são bem mais baratos. Mas a vantagem do termostato é que ele só liga o aquecedor se a temperatura cair abaixo de um certo valor que você regula, se estiver acima disso ele mantém o aquecedor desligado. Assim, o termostato é mais econômico a longo prazo em termos de consumo de energia, e não se corre o risco de aquecer demais a água, o que é perigoso pois diminui o nível de oxigênio na água. Peixes podem adaptar-se a temperaturas diferentes, mas a grande maioria dos peixes não reage bem a mudanças bruscas de temperatura (por exemplo, 5°C em poucas horas). Eles não tem o controle da temperatura do corpo como os animais de sangue quente. Note que mesmo você que tem esta regulação, quando a temperatura muda bruscamente, às vezes sente as consequências ficando resfriado ou pior, imagine eles...peixes sujeitos a isto com frequência costumam ficar fracos, doentios, e tem a expectativa de vida bastante reduzida. Obviamente existem situações onde a temperatura da sala onde ficará o aquário é naturalmente mais estável, e nestes casos o aquecedor ou termostato é menos essencial.

Iluminação: Uma boa iluminação é essencial se você vai querer ter plantas naturais, e você encontrará muitos tópicos sobre isso aqui no forum e no site. Se não for ter plantas naturais, a iluminação já não é tão essencial, mas ainda será muito útil para você poder ver a sua decoração e os peixes, realçar as cores deles, e dar-lhes um sentido de noite-dia. Falando nisso, usar um timer (temporizador) na iluminação é conveniente pois poupará você da preocupação de todo dia ligar/desligar as luzes, mas obviamente não é essencial. Tubos fluorescentes são preferíveis aos bulbos incandescentes comuns, pois esquentam menos e consomem bem menos energia para produzir a mesma quantidade de luz dos bulbos. Como as luzes do aquário vão ficar ligadas 10-12 horas por dia, no final acaba compensando muito bem o maior investimento inicial em fluorescentes.

Sifão: Mesmo com a filtragem, sempre acabam acumulando dejetos no aquário que precisam ser removidos e que geralmente são muito grandes para serem sugadas pelos filtros, ou depositam-se em 'zonas mortas' de circulação da água. Assim, você precisará de um sifão para aspirar essa sujeira que fica depositada, o que geralmente é feito durante as manutenções regulares do aquário onde se faz trocas parciais de água. A troca parcial de água é um dos assuntos mais importantes no aquarismo moderno e será discutida em detalhe num tópico separado.

Trocas Parciais: Lembra-se que na Natureza as correntes levam tudo...chove, vem mais água das nascentes? Então, a água do aquário precisa ser renovada. Se você tiver condições de ter à disposição sempre uma água com o mesmo pH do aquário, a mesma dureza, a mesma temperatura, e tiver tempo disponível, poderá fazer estas trocas parciais todos os dias. Mas se não puder, não faz mal. Não é tão bom mas não faz mal. Existem mesmo peixes que gostam de águas mais "velhas", mas isto fica para depois. Antigamente os aquaristas só repunham a água evaporada e a cada 3 ou 5 anos faziam uma troca de TODA a água do aquário. Hoje temos certeza que isto não é natural nem ideal, pois entre outras coisas, não é só sujeira nem amônia que se forma no aquário ou entra com a água. Há outros elementos e substâncias que alí vão se acumulando ou que vão sendo consumidos, mas que são essenciais aos peixes e plantas. Então a tendência é de se fazer trocas parciais as mais frequentes e em maior quantidade possível. Pode ser que dê mais trabalho, mas quando você vir os peixes felizes com as trocas parciais, sentirá que foi um trabalho que valeu a pena. Isto em nada afeta as bactérias que fazem a filtragem biológica pois a grande maioria destas estão fixas nos filtros e nas outras superfícies do aquário. O importante nas trocas parciais é que a água a entrar no aquário esteja com a mesma temperatura ou se não possivel, até 2-3°C mais quente que a água que sai. Evite ao máximo colocar água mais fria (mais de 2°C de diferença), já que essa é a situação que mais causa desconforto aos peixes, e corrigir isso é muito fácil: basta ferver um pouco de água em um copo de vidro no micro-ondas e misturar à água da troca até ela ficar parecida com a do aquário. De extrema importância é que a água que entra não esteja carregada de cloro como a água que sai de sua torneira. Para isto você precisará deixar a água descansando pelo menos dois dias ou usar um anti-cloro para eliminá-lo. O cloro é muito prejudicial aos peixes. Uma vantagem de fazer trocas mais frequentes é que a possibilidade de a água do aquário estar mais parecida em certos parâmetros com a que vai entrar é maior, fazendo com que os peixes sintam menos a diferença. Mas eles sempre sentem. Quem tem este hábito de trocas frequentes e maiores já sabe que os peixes ficam muito mais felizes após as trocas. Isto é muito visível. Parecem até sorrir!

4) Montei meu aquário hoje, quando posso pôr os peixes?

Colocar peixes em um aquário novo não é como colocar passarinhos em uma gaiola nova que você acabou de comprar. Para que os peixes possam viver bem, é preciso primeiramente formar um verdadeiro mini-ecossistema no aquário, cheio de bactérias benéficas que vão ajudar a eliminar os produtos tóxicos resultantes dos dejetos dos peixes. No jargão do aquarismo, esta fase inicial de formação dessa biologia é chamada de "ciclagem" do aquário, e geralmente dura de 4 a 6 semanas se tudo estiver funcionando direito. Veja um artigo detalhado sobre isso na seção Dicas do site, chamado "O Ciclo do Nitrogênio", onde você entenderá como os compostos tóxicos amônia e nitrito são transformados pelas bactérias em nitrato, que é bem menos tóxico.

A maneira tradicional de se fazer esta ciclagem sempre foi colocar 2 ou 3 peixes pequenos e bem resistentes (ex: paulistinhas, matogrossos, platis) no aquário por algumas semanas, e depois ir acrescentando mais peixes aos poucos a partir daí. Mas esta técnica tende a causar stress nestes chamados 'peixes cicladores' devido à exposição destes a concentrações relativamente altas das toxinas, e encurtar as suas expectativas de vida. Se você pretende fazer a ciclagem desta maneira, é recomendável que pelo menos mantenha o aquário com uma população bem baixa de peixes por no mínimo umas 4 semanas, e depois acrescente o restante pouco a pouco.

Hoje em dia é perfeitamente possível fazer a ciclagem completa sem forçar nenhum peixe a sofrer com ela. Para isso basta adicionar alguma fonte de amônia ao aquário - algumas plantas vivas, pedacinhos de camarão, um pouco de comida de peixe, ou até mesmo amoníaco (NH4OH) ou Cloreto de Amônio (NH4Cl) - e acompanhar a evolução dos níveis de amônia, nitritos e nitratos com testes que hoje estão mais facilmente disponíveis nas lojas especializadas. Com estes testes em mãos você pode acrescentar os primeiros peixes assim que a concentração de nitritos cair a zero, e ir populando seu aquário novo lentamente a partir daí, com o mínimo risco de perdas. Detalhes sobre a maneira correta e segura de fazer a ciclagem sem peixes poderão ser encontrados em um artigo na seção 'Dicas' do site.

Todos sabemos como é difícil olhar para um aquário novo e vazio, principalmente se for nosso primeiro, mas é importante evitar o impulso e o pensamento imediatista. Lembre-se que os peixes que você colocar hoje poderão viver tranquilamente por 3, 5, 10 anos ou mais no seu aquário, e começar fazendo as coisas corretamente ajudará a evitar muitas dores de cabeça e decepções no futuro. Aproveite este período da ciclagem para dar uma boa pesquisada e decidir quais são os peixes apropriados para você manter no seu aquário novo e em que ordem eles deverão ser colocados.

Por fim: se o lojista onde você comprou o seu aquário novo tentou te vender os peixes JUNTOS com ele, ou então disse para você voltar na semana que vem e levar a população quase completa do aquário, não use esta loja como referência pois ela não é uma verdadeira loja de aquarismo e sim uma mera 'empurradora' de peixes!
avatar
Bruno Silva
Administrador
Administrador


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum