Aquarium Brasil
Atenção

Se você não está cadastrado clique em Registrar-se se já tiver cadastro Conecte-se!

Atenciosamente:

 

Disco o rei do Aquário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Artigo Disco o rei do Aquário

Mensagem por AquariumBrasil em Sex Nov 10, 2017 2:18 pm

Disco o rei dos aquários.



Figura 1: O belo disco metálico azul

Reis. Quando penso em Reis, penso no Rei Arthur, William o Conquistador e o King Kong. Fortes e poderosos Esses Reis (exceto King Kong) lideraram suas nações a grandeza através da força de seus exércitos e carisma.
O Disco, um peixe da Amazônia é o Rei dos aquários, mas ele não é como o rei Arthur, ele é mais como um rei em um tabuleiro de xadrez: lento, fraco e vulnerável. Vamos ser claros desde o início, os discos não são peixes para iniciantes. A sua reputação de dificuldade baseia-se em sua propensão para morrer regularmente, mesmo com os devidos cuidados. A maioria dos entusiastas de cíclideos não mantêm Discos, mesmo entre aqueles que os possuem existe certo receio em seu manejo. Amado e admirado de longe (comemorado como cíclídeos), mas raramente mantidos. Apesar disso, os Discos tem um segmento próprio além de vários clubes focados em seu manejo e criação, também existem associações dedicadas a este ciclídeo em especial. Na verdade, desde que você esteja disposto a colocar o seu tempo, esforço (e um bom dinheiro) em manter Discos, eles não são tão difíceis quanto podem parecer de acordo com a minha descrição.
 
 
 
 
 
 
 
 
Biologia e ecologia
Para manter o Disco, você precisa conhecer suas origens Amazônicas.
 

O Disco é o único representante do gênero Symphysodon. Há, dependendo sobre a taxonomia a que você atribui um punhado de espécies de discos selvagens. A maioria destes é reconhecida em pelo menos duas espécies: Symphysodon Discos e Symphysodon aequifasciatus. O primeiro, S. Disco vem de perto da foz do rio negro, na parte inferior, ao longo dos Rios Abacaxi e Trombeta. O último é mais generalizado, ocorrendo ao longo do rio Solimões a do rio Putumayo na Colômbia e no Peru, até a Bacia do rio Tocantins no Brasil.
A química da água e os parâmetros físicos nesses ambientes são geralmente os habitats amazônicos da água negra: quente (28-30ºC, 82-86ºF) é extremamente suave e ácida (tipicamente tem seu pH maior do que 4, mas inferior a 6). Na natureza, essas espécies habitam água lenta e profunda, ocorrendo como grandes grupos de indivíduos tipicamente ao redor ou sob vegetação submersa. Eles compartilham esse habitat com uma variedade de outros cíclidos, incluindo cíclidos de bandeira (Mesonauta festivus), Peacock Bass (Cichla spp.), Heros severus, vários geofaginos e cíclidos anões. Ambas as espécies de Discos são micropredadores, principalmente atacando larvas de insetos ou outros invertebrados.
 

Criação do Disco
 
É importante ressaltar que o Disco no seu aquário local não é, com toda a probabilidade, um nativo, mas provavelmente foram criados no Sudeste Asiático. Tendo sido criados por aquaristas desde a década de 1960, a espécie perdeu algumas de suas raízes Amazônicas. Eles não exigem mais água acidificada e são mais tolerantes a uma pequena quantidade de dureza, no entanto, muitas verdades ancestrais permanecem. O primeiro é esse:
 

Figura 2: Água profunda ao longo do Rio Solimões
 
Os discos são intolerantes aos resíduos solúveis na água, eles exigem que suas águas sejam extremamente limpas, a segunda é - um tanto surpreendente - que os indivíduos são mais felizes em grandes grupos (desde que não estejam em reprodução). Se os Discos no seu aquário tiverem sido capturados e você não tiver uma vasta experiência com os Discos, recomendamos que consulte os especialistas antes de comprar.
 
Nota: este artigo detalha o cuidado de um disco adquirido de criatórios e não de um Disco capturado na natureza; os dois são muito diferentes em termos de experiência necessária para seu manejo e criação.
 


Informações Técnicas:
 
Tamanho do aquário
 
O aquário que você compra para o seu disco deve ser tão grande quanto você pode pagar. Aquários menores de 180 litros  não são grandes para Discos e maior é definitivamente melhor. Se você é um aquarista experiente, e tem experiência com Discos, você pode provavelmente começar com aquários menores, mas se você é novo no aquarismo não recomendo este grupo de peixes. Os Discos podem crescer até ~ 15cm  de diâmetro e é preciso dar-lhes espaço suficiente para apresentar um comportamento normal.
 
 
 
Aquecimento:
 
Discos preferem águas mais quentes 28-30º C. Como foi dito anteriormente manter um aquário com Discos você deve gastar um pouco de dinheiro e vamos começar pelo aquecimento, quando o assunto são Discos é melhor ser prudente com as opções de aquecimento no mercado o mais barato não é definitivamente melhor. Caso você opte por usar um aquecedor de aquário padrão, a sistemática é simples, encontre a quantidade de potência que precisa para aquecer seu aquário e separe esta carga em dois aquecedores, exceto se você descobrir que precisa de um único aquecedor para seu aquário, suponha que você precise de 300W para o seu aquário, compre dois aquecedores de 150W em vez de um único de 300W. A razão para isso é que, quando aquecedores de aquário falham, eles muitas vezes superaquecem até a temperatura máxima. Um aquecedor menor geralmente tem poder insuficiente para superaquecer seu tanque e você tem uma melhor chance de detectar e corrigir o problema sem perder os seus peixes desta forma. Outra consideração para aquecedores são suas configurações máximas. Muitas marcas de aquecedores só aquecerão até 30ºC. Estas não são a melhor opção para Discos o mais recomendável é encontrar um modelo que aqueça até 32º C.
 
 

Figura 3: O Pigeon-Blood Discus, é uma mudança de cor impressionante.
  
 


Filtração Aeróbica:
 
Enquanto os especialistas mantêm o Disco com os mais variados tipos de filtração, recomendamos que os iniciantes invistam em um sistema de filtração de boa qualidade e fácil de manter. A melhor opção para a maioria dos aquaristas nesta situação é provavelmente um filtro do tipo canister, embora os filtros hang-on sejam também outra opção. O ideal é que o filtro seja capaz de processar todo o volume dos tanques de 3 á 5 vezes por hora. Por exemplo, para um aquário de 180 litros, os filtros ideais têm taxas de fluxo de ~ 1000 litros por hora. O carvão ativado tem uma péssima reputação entre os hobbyistas de Discos e a sabedoria convencional diz que é melhor não usa-lo em qualquer sistema de filtragem. A água tem que ser trocada regularmente no aquário de Discos (discutiremos isso abaixo) e recomendamos também a limpeza frequente do filtro (pelo menos 2 vezes por semana) com água do próprio aquário para evitar o acumulo de detritos e manter uma população saudável de micróbios benéficos e desnitrificantes no filtro .
 


Química da água:
 
Conforme mencionado acima, o disco de criatórios não possui parâmetros de água completamente definidos como, por exemplo, o pH da água então a grande massa baseia-se pelas condições de seu habitat natural porem alcançar tais níveis de qualidade de água para estes peixes em nossos tanques e aquários não é uma tarefa tão simples principalmente quando nos falta recursos. Se você mora em uma área com água dura com um pH alto (> 7,Cool, pode ser importante investir em uma unidade RO (será falado mais sobre isso abaixo). Em geral, se sua água é razoavelmente macia e tem um pH <7.8, você provavelmente pode fugir com o uso de água de torneira desclorada para mudanças de água. Para quem não possui muita experiência, recomendamos evitar muita manipulação química na água. Quando mal feita, a adulteração química da água tende a resultar em oscilações no pH e isto além de não desejável no aquário é perigoso para seus Discos.
 


Mudanças de água:
 
O disco requer um investimento significativo na mudança de água. Os criadores de discos experientes recomendam que sejam feitas pelo menos 3 TPA’s (Troca Parcial de Água) de 25% do volume total de água por semana, enquanto alguns criadores trocam de 50 a 100% da água do aquário diariamente isso varia de criador para criador e não é uma regra geral porém como já foi dito a qualidade da água é de suma importância para o bom desenvolvimento e saúde de seu Disco. Todas as mudanças de água para Discos devem ser conduzidas com água desclorada, pré-aquecida (à mesma temperatura do aquário) envelhecida e arejada em um reservatório separado (frequentemente usa-se um barril ou algo similar). Em um grande aquário, um Sump com aquecimento pode ser usado para mudanças de água é uma melhor alternativa devido sua praticidade! Durante a troca de água, qualquer alimento, fezes ou detritos devem ser sifonados do aquário para descarte.
 
Use um desclorador de boa qualidade e certifique-se de que também neutralizou as cloraminas e o cloro. Há muitas opções boas no mercado, porém não dê uma de pão duro justamente aqui água clorada pode matar os seus Discos.
 

 
Água RO:
 
Se você estiver localizado em algum lugar com água muito dura, alcalina (> 7.8 pH) - tipicamente associada a grandes aborrecimentos no quesito aquarismo - você provavelmente deve considerar usar a água RO em suas trocas de água. RO significa osmose reversa (do inglês Reverse Osmosis), uma técnica que remove a maioria dos minerais dissolvidos da água. A osmose reversa funciona da seguinte maneira: força a água através de uma membrana permeável, sob pressão a água passa através da membrana, e assim os sais são dissolvidos, retidos e removidos da água. Pequenas unidades de RO adequadas para o hobbyistas tendem a ser um pouco caras (em torno de R$ 900,00 e R$ 3.500,00 normalmente dependendo do volume de RO produzido por dia), no entanto, se sua química de água local for inadequada para Discos, provavelmente é sua única solução além da água da chuva.
 

  
Conjuntos de teste obrigatório - Química básica da água:
 
Como um aquarista que trabalha com peixes sensíveis, você sempre deve ter um kit de teste de pH, gH e kH na mão para garantir que a água "envelhecida" que será adicionada ao aquário é do mesmo pH, kH e gH que aquela do aquário. A estabilidade é importante.
 


Nitrogênio:
 
Os discos são particularmente sensíveis à montagens que tenham picos de nitrogênio, produtos e resíduos nitrogenados solúveis na água. Para esse fim, é altamente recomendável que o criador de Discos tenha sempre em mãos kits para testar amônia, nitrito e nitrato.
 

Figura 4: Os discos são intolerantes a residuos na água e estes
devem ser removidos por mudanças regulares da água.



A menos que o aquarista tenha algum motivo para suspeitar que o filtro possa ter sido danificado, ou os peixes estão agindo de forma incomum, provavelmente não é necessário verificar regularmente a amônia ou o nitrito em um aquário já ciclado. É evidente que os Discos não são uma boa escolha para aquários em ciclagem e eles nunca, nunca mesmo, devem ser usados para este fim.
Os kits de teste de nitrato devem ser usados regularmente para monitorar o acumulo de resíduos nitrogenados no aquário. Recomendamos que seja utilizado um kit de teste com alta precisão. Essencialmente, os nitratos precisam ser mantidos abaixo de 10 mg L-1, porém o seu objetivo deve ser zerar os nitratos. A taxa em que o nitrato se acumula nos aquários depende de uma série de fatores, mas geralmente é relacionada a duas:
1. A quantidade de plantas no aquário e
2. A quantidade de peixes do aquário.
 
Você consegue gerenciar isto fazendo as trocas de água, conforme a necessidade, para manter suas leituras de nitrato abaixo de 10 mg L-1 e o mais próximo possível de 0 mg L-1.
 
 


Outras opções de filtragem:
 
Chega até ser surpresa que os hobbystas que mantém Discos em grande parte tendem a não usar meios de redução de nitratos, filtros desnitrificantes, depuradores de algas ou equipamentos desses tipos. Essas tecnologias estão bem estabelecidas em aquários marinhos e funcionam bem mantendo o mínimo de resíduos de nitrogênio (e fosfato) nesses aquários. É obvio que em aquários de Disco esse equipamento é usual e uma mão na roda no que tange a qualidade da água.
 



Figura 5: Discus são uma bela adição ao aquário plantado.
Foto de Jean-François Chamberlan
 
Embora seja recomendado que iniciantes não tentem essas novas técnicas de filtração incomuns para a maioria, claramente há oportunidades para que os hobbystas mais experientes experimentem essas técnicas de filtração – sempre com um monitoramento adequado da qualidade da água.
 

Figura 6: Alevinos se alimentam de uma camada de muco
produzida no corpo de um Disco vermelho.




Configuração do tanque:
 
Muitos criadores de disco mantêm seus peixes em tanques sem revestimento no Maximo são revestidos com algum azulejo e uma ornamentação mínima. Na visão dos criadores, isso facilita a manutenção do Disco, mas certamente não é a melhor maneira de manter esses peixes. Nessas configurações, nenhum cascalho ou areia é usado, facilitando a manutenção e auxiliando de forma efetiva na limpeza desses tanques.
 
A alternativa a estes tanques são aquários densamente plantados e, que é uma maneira mais difícil de manter o Disco, porém possui algumas vantagens. A primeira é que é muito mais agradável esteticamente. Aquários plantados são objetos verdadeiramente lindos. Em segundo lugar, fornece ao Disco um ambiente mais semelhante ao seu habitat na natureza e, como tal, é mais provável que nesses aquários os peixes apresentem comportamentos mais naturais. Finalmente, o crescimento das plantas pode auxiliar na remoção de nitrato e, portanto, é outro método para controlar os resíduos solúveis.
 
No entanto os plantados também possuem seu lado negro, os plantados são mais difíceis de manter limpos e existem algumas questões em torno de altas temperaturas que o Disco prefere (algumas plantas não se desenvolvem bem em águas muito quentes) e movimentações causadas pela mudança frequente de água também são prejudiciais para o desenvolvimento de algumas plantas. Este último ponto pode ser contornado através do uso de sumps (discutido na seção de mudanças de água). Onde os tanques plantados são escolhidos para hospedar Discos, é importante garantir que a água seja filtrada vigorosamente, o que, contraria o ideal para bem-estar do aquário plantado onde a filtragem mais forte irá manter um ambiente extremamente limpo removendo nutrientes importantes para as plantas. E finalmente, observa-se que o menor pH dos aquários plantados ajuda a evitar infecções bacterianas em Discos, logo não são apenas más noticias pra quem deseja manter Discos em aquários plantados.
 



Iluminação:
 
O disco não precisa de iluminação forte pois a iluminação muito intensa tende a ser prejudicial  e estressante ao peixe. Em aquários plantados que demandem um boa iluminação é necessário inserir coberturas sob as quais o Disco possa se abrigar. Abrigos ideais são troncos submersos, nos quais as plantas “epífitas”, como Samambaia de Java ou o Musgo de Java possam se fixar.
 



Companheiros de aquário:
 
Muitos criadores de discos defendem manter Discos sem outras espécies em seus tanques ou aquários. Se você for manter seus Discos em tanques eu concordaria que você deva manter Discos com Discos sem a necessidade de outras espécies. No entanto em um aquário plantado, o disco pode ser colocado com algumas outras espécies, porém sempre com cautela e constante observação. As espécies que recomendamos são o Neon Cardinal ou o Tetra Glowlight, ambos terão um bom contraste com os Discos e ira manter o aquário um pouco mais agitado. Para manter o substrato limpo, os Corydoras são uma escolha ideal. Recomenda-se pelo menos seis Corydoras.
 
Figura 7: Com suas longas barbelas, Corydoras consomem os
 alimentos não consumidos do substrato mantendo o
aquário limpo.
Figura 8: Tetras Glowlight são companheiros ideais para discos
 Foto de Gonzalo Valenzuela

 Esses pequenos tetras e peixinhos podem ajudar o Disco a sentir-se mais confortável, efetivamente agindo como peixes para reduzir o estresse do Disco. Evite outros cíclideos, incluindo Peixe-Anjo, e qualquer outra espécie territorial, que seja ágil e agressiva. Finalmente, o criador de Discos deve ser cauteloso com os cascudos e peixes sugadores como o limpa-vidros, pois muitos podem atacar os Discos e causar sérios danos.







 Comprando Discos:
 
Não compre discos juvenis com menos de 6 cm de diâmetro. Os juvenis são ainda menos tolerantes às condições precárias da água do aquário do que os adultos e presumindo que eles sobreviveram a essas condições precárias também tendem a ficar atrofiados.
 
Ao selecionar seus peixes, escolha indivíduos com uma forma redonda do corpo que não seja muito alongado. O tamanho do olho é um indicador útil de atrofiamento, então os olhos devem ser proporcionais ao corpo. Evite peixes escuros ou extremamente pálidos, e peixes que parecem ser magros e de aspecto magro na barriga. Tenha uma conversa com o proprietário do peixe antes de comprar, descubra o que e com que frequência eles estão sendo alimentandos, quanto tempo eles estão no estoque e quais são as condições da água no aquário em que estão sendo mantidos. O aviso prévio é uma arma. Não precisamos nem falar que é extremamente importante obter o seu Disco de uma fonte confiável: isso não quer dizer que precisa necessariamente ser de outro hobbysta, com dedicação, estudo e experiência em cuidar de Discos. Encontrar a fonte certa economizará tempo, esforço e previne futuros desapontamentos. Procure por um clube Discos local, sociedade ou associação - ou mesmo um fórum Discos especializado online – este ultimo definitivamente é recomendado como fonte de suporte e assistência.
 



Quantos discos devo comprar?
 
A menos que você queira reproduzir seus Discos ou tem experiência com reprodução de Discos, recomendamos que você não mantenha menos (e não mais) do que seis Discos no aquário de 180 litros. Apesar de todas as evidências apontarem para o contrário, Discos ainda são cíclideos e, apesar de seus comportamentos pacifico, eles ainda podem ser um pouco agressivos entre si. Uma população adequada diminui atrito entre peixes mais territorialistas com os demais evitando assim maiores transtornos. Porém também é fato que quanto maior o aquário maior a população de Discos que pode ser alocada nele.
 



Alimentação:
 
Discos em geralmente, comem ração em flocos sem problemas. Certifique-se de comprar isso regularmente, apenas em pequenas quantidades, pois o prazo de validade é limitado e ainda há as intempéries do tempo e umidade que podem acabar mofando ou estragando a ração de seus Discos. Alimentos congelados, como bloodWorms, Mysis Shrimp e Brine Shrimp, também devem ser oferecidos regularmente para garantir que os peixes recebam a nutrição adequada.
 



Quarentena:
 
É evidente que um Disco novo as vezes gera um alto investimento, e estes novos peixes não devem ser diretamente inserido no aquário com os discos que já habitam seu aquário, antes se faz necessário um período de 4 á 6 semanas em quarentena. Todo hobbysta independente da espécie deve possuir pelo menos um aquário separado para aquário-hospital e quarentena. Tudo isto é feito para acompanhar seus peixes durante a quarentena cuidadosamente e garantir que eles estão saudáveis antes de pô-los em seu aquário principal.







 Doenças e Estresse:
 
A vigilância é fundamental para manter o Disco saudável. Qualquer peixe que apresente sinais de estresse, ou seja, não socializar com os demais, esconder-se ou mudar de cor isso é mais que suficiente para chamar sua atenção. Se você tomar conhecimento de indivíduos que se comportam anormalmente, recomendamos verificar imediatamente a química da água (pH, amônia, nitrito, nitrato e fosfatos). Outra informação importante para tomar nota é se o comportamento é limitado a um único indivíduo e onde esses indivíduos se posicionam em seu aquário com relação ao restante da população de Discos em seu aquário. Dados na mão, então é hora de consultar outros hobbystas de Discos e, se o problema for serio, consulte um veterinário especializado em peixes.
 




Conclusões:
 
Manter o Disco tem seus desafios, mas armado com a informação certa são facilmente superados. Para os iniciantes com Discos recomendamos que não procurem por atalhos ou métodos simplistas. Embora você possa conhecer alguns detentores veteranos de Discus que fazem menos manutenção - vale a pena lembrar que eles mantiveram esses peixes o tempo suficiente para recuperar problemas antecipando e alertando possíveis desastres. Manter o Disco é um hobby gratificante e emocionante. Um grupo de Discos em um aquário plantado rivaliza com os melhores tanques de Marinhos. Eles são criaturas verdadeiramente majestosas, um mundo além de outros peixes de água doce. Uma vez que você dominou o cuidado dos Discos, o próximo desafio, reprodução, espera por você - mas para isso você precisará certificar-se de que seu Rei tem uma Rainha.

Figura 8: Esse belo padrão é comum em Discos


Artigo traduzido da revista: RedFish Edição nº 2, agosto de 2011
Revisão, comentários, edições: Aquarium Brasil

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Aquárium Brasil ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Os Administradores e Moderadores recomendam
Leias as regras gerais do fórum antes de começar a postar
Condições Gerais de Utilização
Página de Ajuda
Seja criativo e nos ajude a melhorar este fórum e seus serviços!
Pedidos para integrar a moderação do fórum serão avaliados pela
equipe antes de serem aprovados ou não.

avatar
AquariumBrasil
Administrador
Administrador


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum